Camila Junqueira

08/02/2023

7 erros que Tech Recruiters cometem e como evitá-los?

Conheça os principais erros dos recrutadores que prejudicam o processo seletivo em tech
Em um mercado tão concorrido e com mais vagas em aberto do que profissionais qualificados, como o de tecnologia, é imprescindível que os recrutadores evitem cometer alguns erros no processo seletivo. Afinal, o preço que se paga por uma contratação inadequada é alto – não só pelos gastos de rescisão, mas também pelo tempo que é investido na procura pelo candidato ideal e o atraso no andamento dos projetos.
 
O erro na contratação pode ser dos dois lados: é comum que o próprio candidato não se identifique com a empresa, e peça demissão caso encontre outra oportunidade. Isso aumenta o índice de turnover da empresa, que mede quantos funcionários acabam saindo por qualquer motivo. Para fazer um recrutamento assertivo e encontrar os melhores profissionais, listamos alguns erros que os tech recruiters mais cometem, e algumas dicas para evitar que eles aconteçam.
 
Erros comuns na contratação
 
1. Montar uma descrição de vaga incompleta
 
É fundamental saber montar uma boa descrição da vaga, de acordo com as necessidades da empresa e do setor. Os candidatos nem dão atenção para vagas incompletas, que não especifiquem os requisitos técnicos ou expliquem brevemente o contexto geral da empresa.
 
Vale colocar um breve resumo da área, das stacks obrigatórias e do que poderá ser complementado com cursos – para que o candidato saiba se o conhecimento dele se aplica ao que a vaga pede. Se possível, inclua também uma média salarial, ou então que o salário será combinado na entrevista. Detalhe também todos os benefícios que estão inclusos na vaga, para que o candidato possa avaliar se é o que faz sentido para ele.
 
2. Não saber avaliar os requisitos técnicos
 
É fundamental que o recrutador saiba validar o conhecimento técnico do candidato. Saber detalhes de projetos já realizados, perguntar sobre quais desafios já enfrentou na prática ou até chamar outros desenvolvedores do time para aplicar uma avaliação prática, são formas mais eficazes de medir esse conhecimento, para além de perguntas básicas de sim ou não. Inclusive, é recomendado que o tech recruiter tenha algum background na área de tecnologia, ou busque se aprofundar em temas básicos para conseguir fazer essa avaliação de forma mais completa.
 
3. Seguir o mesmo perfil de quem já está no time
 
É comum, e quase inconsciente, que os recrutadores procurem perfis similares aos de quem já está trabalhando na empresa. Afinal, são perfis que estão dando certo na prática. No entanto, é importante buscar diversidade e inovação, para que os novos colaboradores agreguem de formas diferentes ao time.
 
Esse perfil pode acabar se repetindo de diversas formas: pessoas que tiveram a mesma formação, ou que já trabalharam juntas em empresas anteriores. Busque variar nessa seleção e também no quesito étnico, racial e de gênero. Muito importante buscar construir uma equipe diversa e com talentos de diversos lugares.
4. Não analisar direito os perfis antes do contato
 
No recrutamento, a pressa provavelmente será inimiga da perfeição. Claro que existem prazos a serem cumpridos, e a vaga deve ser preenchida o quanto antes, mas é preciso analisar cada candidato individualmente antes de um primeiro contato – principalmente no caso de tech recruiters que fazem uma busca ativa nas redes sociais.
 
Evite mandar mensagens prontas, sem antes ler o currículo e analisar o perfil da pessoa. Esse primeiro contato já deve ser assertivo, para que você não perca muito tempo com quem não terá fit com a vaga ou a empresa. Leia as principais informações, busque referências no Linkedin e separe alguns critérios para entender se o candidato tem potencial.
5. Fazer um processo seletivo longo e genérico
 
Entrevistas muito longas, sem tanto critério e com perguntas genéricas não passam despercebidas pelo candidato. Fica claro que o recrutador não se preparou direito para a entrevista, ou que a ocasião está só sendo uma perda de tempo mesmo. O mercado de tecnologia requer entrevistas personalizadas, que traduzam bem as experiências prévias do candidato e mostrem se ele é a pessoa ideal para a vaga a ser preenchida.
 
Monte o processo apenas com as etapas realmente necessárias, e marque entrevistas com pessoas que farão a diferença na avaliação do candidato. A entrevista com o gestor da área, por exemplo, não pode ficar de fora do processo e é mais importante do que marcar conversas com outras pessoas do time, se o tempo estiver curto. Lembre-se que o tech recruiter serve para cortar o caminho entre candidato e empresa e otimizar a contratação.
 
6. Demorar para responder os candidatos
 
Não demore para dar um retorno para seus candidatos, mesmo que seja um feedback negativo. Caso tenha setado uma expectativa de retorno, tente cumpri-la porque o profissional certamente estará esperando notícias. Além disso, gaste um tempo para produzir respostas personalizadas, isso demonstra atenção e cuidado com as pessoas envolvidas no processo seletivo.
7. Não cumprir com o que foi prometido
 
Prometer mais do que é possível cumprir é outro erro comum dos tech recruiters. Na tentativa de encantar um candidato que é muito bom, o recrutador acaba prometendo um salário alto demais, ou benefícios que fogem do que a empresa consegue entregar. Isso gera uma enorme frustração no candidato, que terá uma oferta menor do que esperava e provavelmente não vai querer seguir no processo.
 
Outro erro é prometer uma cultura, ou um plano de carreira, que não existem. Isso só será descoberto após a contratação, muitas vezes em longo prazo, mas também é frustrante para o profissional – e pode provocar o desligamento depois de um certo tempo. Tente prometer apenas o que será fácil de realizar.

Posts recentes

{{ reviewsTotal }}{{ options.labels.singularReviewCountLabel }}
{{ reviewsTotal }}{{ options.labels.pluralReviewCountLabel }}
{{ options.labels.newReviewButton }}
{{ userData.canReview.message }}